Cristina Ferreira

quarta-feira, 23 de março de 2016

A Primeira Família no Perfil!


Heeeeey Guuuuys!! What's up??!




Como é maravilhoso, tranquilo e perfeito o dia em que há uma família no seu perfil. #sqn
Hoje eu vim aqui pra falar do dia em que eu tive a primeira família no meu perfil!!
Como eu falei nesse post "O que eu aprendi depois de 2 meses online"  eu estava querendo mudar para a agência Cultural Care pois, o fluxo de famílias da minha agência (Au Pair Care) estava baixo (lê-se muito, muito baixo mesmo), então resolvi comunicar essa decisão para a minha família, que de cara me disseram um NÃO bem grande, justificado pelo valor significativo depois do match.

Então comecei a pensar com os meus botões: Pra ter um match rápido eu preciso ir pra CC porque lá o fluxo de famílias está maior, pelo tanto de menina que a gente vê dizendo que tem match, só que muitas tem o match em um mês, ou menos de um mês e eu não teria todo esse dinheiro em tão pouco tempo sem falar que ainda teria que desembolsar muito mais para tirar o visto em outro estado (Recife/PE), concluí que: EU PRECISO DE UM EMPREGO!!

Tratei de mandar currículo online pra tudo quanto era canto. O Brasil todo estava sabendo que eu estava procurando um emprego, mandei currículo pra todo lugar.
Eis que sou chamada para uma entrevista no dia 13/02, um sábado, na cidade de Salvador/BA (moro no interior do estado diga-se de passagem) até aí tudo bem, porque já havia outros planos para fazer nessa data em Salvador. 

Saí na sexta-feira a tarde 12/02 pra imprimir currículo e comprar a passagem. Tudo  muito corrido, tudo muito em cima da hora, nem tinha comentado mas recebi a ligação depois das 4h da tarde nessa mesma sexta feira, foi uma correria da zorra, é porque eu resumi aqui pra vocês.

Seguindo a história, cheguei em casa por volta de 8:00h da noite com a intenção de sair às 9h para pegar o ônibus que sairia da rodoviária 10:10h da noite. Fui tomar aquele banho, preparar uma roupa, arrumar a bolsa, pegar documentos e ainda enviar a parte de um trabalho que eu fiquei de mandar para a minha amiga. Sentei bem quietinha pra procurar o arquivo, abri o email e eis que me deparo com isso:








Primeiro chega o email da agência dizendo que você foi selecionada para uma entrevista






Neste email estão  listadas algumas instruções para a sua entrevista:




Parei aí. A sensação é tipo: Está acontecendo de VERDADE! 

Respondi o email e disse que estava disponível para uma entrevista. Na minha cabeça eu estava assim: Eu vou mesmo pra Salvador ou eu fico pra fazer esse skype?
Não tinha muito o que decidir, eu já estava com tudo pronto, corri com o email e fui pra rodoviária.
Cheguei antes das 6h da manhã de sábado em Salvador e fiquei na rodoviária plantada esperando uma lan house abrir a partir das 9h da manhã.


Abri o email e lá estava a host family me chamando para fazer um skype naquele mesmo dia, e agora? Onde eu iria fazer um skype? Como faria pra estudar as perguntas? E essa sensação desconfortável de estar fazendo essa entrevista de forma doida.
Resolvi falar a verdade e dizer que não estava em casa, que estava realizando uma palestra em Salvador (que também é verdade) e resolvi não falar sobre a entrevista de emprego, e domingo já estaria em casa pela manhã e que poderíamos marcar um skype do domingo em diante.

Na minha cabecinha (de vento) a entrevista de emprego seria jogo rápido, ou seria contratada, e começaria a procurar um lugar pra morar ali em salvador, ou não seria contratada e ainda assim voltaria feliz da vida para minha casinha pra fazer meu skype em paz e com tranquilidade, das duas maneiras eu estaria feliz da vida. Maaaaas eis que eu não contava com a astúcia dos meus contratantes.

Pois vejam só pessoal, eles me chamaram pra fazer um teste no dia seguinte! Já que eu não tinha experiência de trabalho (não quiseram me dar um não de cara!), de fato eu sempre fiquei estudando, do ensino médio direto pro técnico e do técnico pra universidade sem tempo pra respirar ou pra trabalhar, neste caso.

Ahhh eu não mencionei mas a vaga era pra trabalhar de garçonete em um restaurante muito bonitinho e aconchegante em Salvador, vou colocar a foto dele aqui, foram todos muito simpáticos comigo.









Dessa maneira, acabei ficando na casa da minha prima que me acolheu muito bem e que adorou a história do intercâmbio de au pair, foi a primeira pessoa da minha família a aceitar a ideia logo de cara e me incentivar bastante sem nem ao menos eu falar mais detalhes sobre o programa, se você estiver lendo isso Lane, um beijo pra você prima ;)

Aproveitei pra dar uma checada no meu email na casa dela no sábado a noite, esperando ver um possível email de resposta da minha host family, e ele estava lá. Ela me dizia que não poderia marcar um skype para o domingo pois estavam viajando para a Flórida, mas que para o início da semana estava disponível.
Alívio foi o que eu senti ao ler aquele email. Pronto, domingo poderia ter aquela experiência no restaurante e no final do dia como me prometeram eles me dariam a decisão final: será que eu ficaria com a vaga? Sim ou não?
A resposta certa é: Mais ou menos.


De fato não me deram todas as funções de uma garçonete, mas as funções que me deram eu desenvolvi muito bem, bem melhor até do que outras pessoas que tinham experiência nesse ramo, segundo eles, mas que ainda assim estavam inseguros em me contratar de fato, entre outras coisas por eu não ter experiência. Me perguntaram se eu gostaria/ficaria trabalhando como "extra" nos finais de semana com eles, respondi que sim, mas no fundo era não. Eu só poderia ficar em Salvador se eu tivesse um emprego fixo, senão, nada feito! Me pediram para ir me trocar e depois passar na gerência para mais uma conversa.

Por fim, voltaram atrás e decidiram fazer uma nova experiência comigo para a próxima sexta-feira, me passariam agora de fato todas a funções e veriam o meu desempenho já que eles me disseram que eu pegava as "coisas rápido" e tinha "vontade de aprender" (isso aí é verdade, ponto pra mim!! kk). Mas estávamos num domingo, e eu teria que ficar mais uma semana inteira, com a grana curtíssima e sem o meu cantinho para fazer o skype com a host family, sem falar que se eu ficasse até sexta na cidade isso não era garantia de conseguir o trabalho.

Mais uma vez,como aconteceu quando fui aprovada na UFRJ, contei pra vocês, vocês lembram né? 

Era como se a vida de novo (novamente e outra vez) estivesse me pedindo pra escolher o que era mais importante pra mim e de novo ela teve a resposta: AU PAIR.

E eu não me arrependi de ter escolhido o programa au pair, sabe porquê? 




BECAUSE I HAVE A MATCH!





Semana que vem eu conto o finalzinho dessa história, como eu voltei pra casa e sobre como foi o meu primeiro skype com a host family.
Muitos beijos pra vocês meninxs e até a próxima semana!!




Maria Gama


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Meninice Aguda - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Cristina.
Tecnologia do Blogger.
Design por
imagem-logo
Unicorn Design