Cristina Ferreira

quarta-feira, 6 de julho de 2016

O Primeiro post do lado de cá da história

 Hey Guys! What`s up? Aqui é a Maria, e para quem não sabe, eu sou Au Pair na Califórnia! 



Só pra constar: são 5:19 da manhã de domingo, não consegui mais dormir, então resolvi 
aproveitar o meu tempo escrevendo para vocês!

Eu dei uma sumida eu sei, mas aqui parece que o tempo de fato voa! A minha rotina de au pair é muito corrida. Sempre trabalho mais horas do que eu deveria (não estou reclamando) e tento passar algum tempo mais perto da host family para criarmos mais vinculo e manter uma boa comunicação, por isso, no final do dia normalmente as nove horas da noite, eu desço pro meu quarto e só tenho forças para tomar um banho e partir pra cama. Ainda passo algum tempo respondendo as mensagens da família e dos amigos, mas como eu preciso acordar cedo no outro dia e prefiro aproveitar ao máximo o meu tempo dormindo, mas não é por maldade que eu não parei pra escrever, é que o tempo aqui passa voando e eu tenho muitas coisas já acumuladas aqui.

 Mas vamos partir para o que interessa! Pretendo fazer desse post uma "colcha de retalhos" ou colcha de sentimentos desse meu primeiro mês na America!

 Quando eu estava embarcando eu não tinha noção do que estava acontecendo comigo. Sabe, eu não tinha noção de que finalmente eu estaria viajando pros EUA e realizando um grande sonho. Naquele dia no Rio de Janeiro (cidade linda!) era só, mais um aeroporto para mim. Sai de Pernambuco de madrugada num voo com uma escala no aeroporto de Campinas e que chegaria 11 horas na manhã no Rio de Janeiro e ainda teria que esperar até ás 9 da noite pelo meu voo para Nova York.

 Assim que eu deixei a minha família e entrei pelo portão de embarque me bateu aquele sentimento de desespero, o que é que eu estou fazendo? Que loucura, eu estou deixando a minha família pra ir pra um outro país, eu não quero mais isso! Eu quero desistir! Comecei a chorar sozinha e calada ali. Mas respirei fundo e pensei: Mas já estamos aqui Maria, vamos seguir em frente, e fui! E essa sensação ruim só foi sair de dentro de mim quando eu encontrei as outras meninas do meu grupo de embarque, que por sinal faz toda a diferença, pois todos esses sentimentos elas estão sentindo também e uma pode ajudar a outra.




Cheguei em Nova York! N-O-V-A-Y-O-R-K! 
Nova York é como estar lá, e não estar ao mesmo tempo! Você esta vendo tudo aquilo, mas mesmo assim não acredita, essa sim é uma sensação incrível!

Que me desculpem as meninas da CC mas estar num hotel faz toda a diferença! Muito, muito bom o hotel da AupairCare (pelo menos isso!haha) A semana do treinamento é a melhor de todas! Aproveite cada instante. E quando a hora chegou, me despedi das novas amizades que havia trazido do Brasil para a America foi tão doloroso, o vinculo fica mais forte aqui! Aproveitando essa parte: Eu sou a minha própria família nesse país. Não entendam mal, a minha host family é boa e eu tenho a minha própria família no Brasil, mas aqui é tudo all by myself! Eu sou por mim, e preciso ser feliz com a minha própria companhia. Mas isso não significa que você não possa arrumar alguém.
Para encurtar a historia: sai do Brasil meio namorando, meio terminada com um americano, ai cheguei aqui, ficamos juntos durante a semana do treinamento mas ele mora do lado de lá do pais, e eu estou do lado de cá, na Califórnia (abençoaaaaada!) Mas não foi por isso que não deu certo.


Mas não me julguem. Eu comecei a sair com outro boy aqui na Califa! Fui testar os tais aplicativos da vida e adorei! Eu me senti meio culpada e meio vulgar por aceitar sair (não por causa, dele, por mas por mim mesma!), mas parei pra pensar: eu passo o dia cuidando das crianças e da casa, eu tambêm preciso de alguém pra cuidar mim! A carência aqui bate forte e é bem dramática, mas vai por mim: Ter alguém aqui faz toda a diferença! Seja amigos ou um boy.

E tudo aconteceu como naqueles filmes que a gente adorava assistir no Brasil. E lá estava ele: Bonito, alto encostado no seu camaro e a louca aqui procurando: cade ele? E pra minha sorte, aquele cara super gato estava ali por mim! E fomos seguindo, ele abriu a porta do carro pra mim (me derreti por dentro), entrei, ele já foi dizendo o que tinha preparado para o nosso date, eu só fiz que sim com a cabeça. 5 encontros depois, e ele ainda abre e fecha a porta do carro pra mim como se fosse algo tao "normal".  E essa sensação de ter alguém pensando em você, querendo estar com você e cuidando de você, pode as vezes meninas, salvar esse seu dia de au pair (como já me salvou!) Inclusive hoje tenho outro date com ele e ainda estou ansiosa por isso!

Voltando pra parte onde eu me perdi, vir pra Califórnia pode se tornar algo mais cansativo pra alguém que já estava tão cansada de ficar tantas horas dentro de um avião, preparem-se meninas que estão vindo para a Califórnia, são mais ou menos 6 ou 7 horas de voo de New York pra cá! (Mas pra quem quem já ficou umas boas horas dentro do avião do Brasil pra cá, pode não ser muito!) But just in case.

Quando eu cheguei aqui, o primeiro sentimento que me bateu ainda no aeroporto foi o de solidão, é um sentimento que vou começar alguma coisa do zero. Mas como tudo na vida, isso também passou!

Fui recebida com flores pela minha host mom e pelas crianças, já aproveitei pra tirar aquela foto, ufa! Como agradeço por esse momento já ter passado. É tão angustiante, você fica no treinamento pensando como vai ser aquele momento voltando pra casa da host family dentro do carro, se vai ser aquele climão, o silencio reinando e tals. Mas foi tudo bem de boa...

Eu moro na região de San Francisco, 20 min de San Francisco. E aqui é maravilhoso! E muito, muito lindo! E ainda é pouco. Se você é um admirador da natureza como eu, você ira se apaixonar, se emocionar e perder o folego com as belíssimas paisagens aqui! Tem montanhas lindíssimas, parques lindíssimos, arvores lindas e altas! Sem falar do mar, ou "ocean" como eles gostam de chamar!




As suas duas primeiras semanas, ou talvez o primeiro mês vai ser, talvez, pensando em desistir de tudo isso aqui, pensando que talvez você não consegue dar conta de tudo. Mas mantenha a calma e tenta dizer pra você mesma: vamos tentar, vamos tentar mais essa semana, você trabalhou duro pra chegar aqui.

Esse meu primeiro mês aqui, já chorei rios, já me senti a pessoa mais livre do mundo, vi paisagens indescritíveis e até me emocionei com elas ( a natureza é perfeita!), fiz amigos, fui em date, fui feliz num dia, triste num outro e depois feliz de novo.

E a vida é isso, ah,  sabe aquelas casinhas americanas dos filmes? É tao legal ficar olhando pra elas, são tão lindinhas, uma querendo ser mais bonita que a outra. Ah, e eu estou morando numa! O meu quarto aqui, daria dois do meu no Brasil, mas eu não fico pensando muito nisso.


Camping



E é isso pessoal, bom escrever pra vocês de novo, desculpa se eu pareci meio metida nas linhas aí de cima, eu juro que eu não sou, aqui é muito bom, mas sempre fica faltando alguma coisa se a sua família não esta por perto.




Muitos beijos, e até a próxima!

Terminei esse post 6:33 da manha, so pra constar haha

- Maria Gama

2 comentários:

  1. Maria não deixe de postar já estava com saudades, rsrs

    Adorei seu post, deu para sentir uma emoção tão grande lendo!!!

    Nos conte sobre as viagens ai nos EUA *-*

    ResponderExcluir
  2. Oi Maria, você tem canal no Youtube? Tenho 18 anos e já estou pensando em ser au pair daqui a alguns anos rsrsrsrs Estou muito confiante.

    ResponderExcluir

© Meninice Aguda - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Cristina.
Tecnologia do Blogger.
Design por
imagem-logo
Unicorn Design