Cristina Ferreira

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Roteiro cinco dias no Marrocos

Oi gente, sou a Cristine B. e  hoje o destino não é na Europa, mas sim na África em um dos destinos mais populares do continente, Marrocos. Desde o Clone que tem cenas gravadas no país sempre quis visitar o país.
Fiz o passeio por excursão com pacote fechado para cinco dias com a empresa. Sahara pack, recomendo muito pois assim conhecemos muitas paisagens naturais e o acampamento no deserto é super organizado e bem estruturado. 

Dia 1


Chegamos em Marraquexe e logo de cara somos surpreendidos com a diferença. Você não está mais na Europa, o tempo é seco a vegetação é seca. Marraquexe é realmente uma cidade agitada, cheia de gente como naquelas cenas de filmes com formigueiros humanos e um transito caótico. 

Neste dia só fizemos o check-in e saímos para jantar pratos típicos Marroquinos.

Dia 2

No segundo dia começou a viagem para o deserto, durante a viagem que demora um dia inteiro vamos fazendo paradas.

Primeira parada é o Tichka, uma passagem de montanha no Alto Atlas que une a estrada entre Marrakech e Ouarzazate, situado a uma altitude de 2260m.

A segunda parada é em uma Cooperativa de óleo de Argan. Essas cooperativas foram criadas pelo governo Marroquino e empregam mulheres para trabalharem na produção e extração do óleo. O óleo é extraído de uma árvore típica de Marrocos, a Argania Spinosa, o óleo é feito manualmente pelas mulheres e para se produzir 1 litro de óleo são necessários 100 kg de sementes. O óleo pode ser usado para estética, fins medicinais e para fazer alimentos. 
Marroquinas fabricando óleo de Argna
A terceira parada é cenário de filme. Aït-Ben-Haddou é uma cidade fortificada na região de Souss-Massa-Drâa, Marrocos, na antiga rota de caravanas entre o Saara e Marraquexe. A cidade é constituída por um grupo de várias pequenas fortalezas, ou casbás (kasbahs), chegando a ter dez metros de altura cada uma. Algumas famílias ainda vivem ali.  O local serviu para as filmagens de o Clone, a múmia, o príncipe da Pérsia, o Gladiador e Game of Thrones. O ksar foi fundado em 757 e cresceu até o tamanho atual. Foi declarado Patrimônio Mundial da UNESCO em 1987.
Procurando a Khaleesi


Paramos ainda na cidade de Ouarzazate que se desenvolveu devido a criação de um estúdio de cinema. 
A noite dormimos em no Hotel LaGazelle du Dades.

Dia 3

A primeira parada foi a magnifica Dades Gorges que é um desfiladeiro do rio Dades situado entre as montanhas da cordilheira Atlas, no Marrocos. A estrada de curvas fechadas é maravilhosa e compõe uma grande obra de engenharia. 


Logo após paramos no Vale do Dades para aprender com um local sobre o desenvolvimento da agricultura pelos locais. Aqui também vivem tribos berberes. As principais culturas do local são macieiras, alfafa, cevada, trigo, amêndoas, figos e tâmaras.

Depois fomos conhecer uma fábrica de tapetes artesanais marroquinos. Cada tapete é desenvolvido manualmente por mulheres marroquinas a partir de pelo de ovelha, cabra e camelos. As cores dos tapetes também são naturais, sendo obtidas de plantas e insetos. 
Os tapetes Marroquinos
A próxima parada foi a cidade de Tinghir  no centro do oásis do vale do rio Todgha (Todra), perto das suas famosas gargantas. A cidade está cheia de palmeiras de tamareiras e oliveiras em contraste com as montanhas vermelhas
A última parada antes do deserto foi em um lugar fascinante: as gargantas de Todra. Os penhascos com 300 metros de altura separados pelo rio e pela estrada são simplesmente maravilhosos. 
No final da tarde chegamos a Merzouga onde íamos acampar no deserto. As dunas têm 5km de largura e 22 de comprimento. 
Chegando ao local íamos até o acampamento passeando em cima de dromedários (não são camelos), o passeio dura cerca de uma hora com parada para ver o pôr do sol. Andar de camelo não é nada fácil, balança muito e na hora de subir e descer se segure. 

O acampamento é muito bem organizado com colchões e até uma privada na barraca feminina. A noite é servida uma janta típica marroquina e um chá. Se for durante o período de inverno prepare-se para passar o pior frio da sua vida. No verão esfria a noite, porém a temperatura é agradável. Aprecie o céu super estrelado do deserto, você nunca mais verá um céu assim, é simplesmente encantador.

Dia 4

No quarto dia levantamos cedo para ver o nascer do sol no deserto, o que é simplesmente maravilhoso. Depois andamos de camelo do local do acampamento até onde estão estacionadas as vans. Neste dia inicia a viagem de volta a Marraquexe. Não paramos em nenhum ponto turístico, somente para comer a ir ao banheiro. Esta viagem de volta é bem cansativa.
Camelos descansando
 


Nascer do Sol no Saara
 Dia 5

O quinto dia é todo dedicado a conhecer os pontos turísticos na cidade de Marraquexe. O guia nos conduz pela praça principal. O guia nos explica a origem da Medina, palavra árabe para cidade, e nos leva conhecer as principais ruas.


Começamos conhecendo a farmácia berbere que vende, ervas, pigmentos, óleos e especiarias. As atendentes explicam o uso de algumas ervas e óleos vendido na farmácia. O site é este. www.herboristeduparadis.net



Após a visita a farmácia fomos até o Palácio Bahia, que data do século XIX. O jardim do palácio é muito lindo e possui várias salas decoradas em estilo árabe.

Após passamos na principal praça de Marraquexe a Praça Jemaa El-fina, na praça tomada por mercadores é possível encontrar praticamente de tudo. Está sempre muito movimentada durante o dia e a noite, cuidado para não se perder. 


Depois foi a vez de conhecer Saadian Tumbs, túmulos de fámilia Saadian e pessoas ligadas ao sultão. Foram construídos no século XVI para abrigar os antigos reis saadinos e encontrados em 1917 pelos franceses.
Por último e o mais surpreendente visitamos a Madrassa Ben Youssef, uma escola islâmica anexa a mesquita de Ben Youssef. Foi fundada no século XIV pelo sultão Abu el Hassan. Porém foi quase totalmente reconstruída pelos reis saadinos. Mais de 800 estudantes viveram ali e todos os quartos estão situados ao redor do pátio. A decoração é simplesmente fantástica.



Aproveitamos o fim do dia para ir as compras no souks, o mercado que fica ao lado da praça Jemma El-fina. Para comprar é necessário muito paciência e pechinchar bastante. As vezes os itens podem ter seu valor reduzido pela metade. No mercado há praticamente de tudo, especiarias, souvenirs, bolsas, roupas, sapatos, artigos de decoração, óleos e principalmente os lenços marroquinos.  Aproveite, pois é tudo muito barato. 

E então gostaram? O que mais fariam no Marrocos?

Beijos e até o próximo destino



Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Meninice Aguda - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Cristina.
Tecnologia do Blogger.
Design por
imagem-logo
Unicorn Design