Cristina Ferreira

domingo, 19 de março de 2017

Ditadura da Magreza: Anorexia, Bulimia e Automutilação (Texto)



 Esse vídeo é pra você que por algum motivo, já se sentiu feia ou insegura por simplesmente não se enquadrar nos padrões da sociedade. Saiba que estamos todas juntas por um mundo onde garotas não precisem se cortar por não se sentirem bem. Por um mundo onde não deixaste de comer para ser aceita. Por um mundo onde possamos ser nós mesmas e felizes com nossas diferenças. Pois na verdade, somos todas diferentes. E é exatamente isso, que nos torna especiais. 

                        

PRINCESAS EMPODERADAS


 Era uma vez uma princesa, uma princesa diferente. Diferente de outras princesas que vemos na TV, nas revistas...
 Mas, ela achava que precisava mudar. Eles diziam isso a ela! 
 Diziam que seu cabelo deveria ser mais liso, não poderia ter uma cor diferente. Imagina, uma princesa de cabelo rosa?! Ninguém a levaria a sério. 
 Diziam que para ser linda só faltava emagrecer. Quem sabe uns 10, 20, 30 quilos. Já ajudaria...   
 Você precisa se encaixar, precisa parecer!
 Disseram eles. Mesmo sem dizer.
 Ela, então, aprendeu a odiar seu corpo, ter vergonha de seu cabelo, sem nem ao menos perceber...
 Não gostava mais de se olhar no espelho, pois tinha medo do que iria encontrar. 
 Passou prancha no cabelo, vomitou de desespero e até chegou a se cortar.
 Ela que de tão bela, era tida como feia, por uma sociedade que não entendia sua beleza. 
 Talvez a Ana e a Mia possam ajudar. É só parar de comer e continuar a vomitar. E o cabelo dá pra resolver, é coisa pouca, progressiva ou henê.
 Disseram eles. 
 Seu cabelo caía, a pele doía, e ainda assim, não conseguiu agradar. 
 Pensou, então, mas o que é belo? Se uma é magra demais, a outra é gorda demais, baixa ou alta demais...
 Ninguém é bom o suficiente.
 Mas a princesa cansou, sabia? Cansou de tentar caber numa caixa, cansou de querer se enquadrar no padrão impossível da sociedade. E por fim, cansou de se odiar.
 Resolveu, então, aceitar sua beleza, diferente como é. Decidiu amar seu corpo, gorda ou magra, apenas linda a sua maneira. E o cabelo? Tá do jeitinho que Deus o fez. E ela nunca se sentiu tão linda.
 Imagine que loucura, alguém feliz com o próprio corpo!? Ela não pode estar bem!
 Disseram eles. Mas ela não ligou. Não desta vez. 
 Ela não lhes dava mais ouvido. Loucos eram eles querendo que todas as princesas fossem iguais, logo em meu reino, onde há princesas negras de cabelo crespo, há princesas gordas que amam seu corpo, e é claro, há princesas magras também.
 Mas com tanta diversidade, o que teríamos em comum? Ah, isso é simples! Somos todas lindas! Independente do que digam, diferente do que nos foi ensinado.
 Não precisamos nos encaixar, nem tentar ser o que não somos. Podemos ser delicadas ou grossas, se necessário. Sair maquiadas ou de cara lavada, se preferirmos. Podemos ser gorda, magra, negra, branca, morena, loira, ruiva ou até mesmo ter cabelo colorido. Podemos ser o que quisermos, pois se tem uma coisa que as princesas podem, é poder.
 A mídia nos enfia, garganta abaixo, apenas um tipo de beleza. Ignorando toda a diversidade. Mas tudo bem não se enquadrar no padrão de beleza da vez, isso não te torna feia, e sim linda em uma forma diferente. E saber disso, se aceitar e amar seu corpo, exatamente como ele é, é o que te deixa ainda mais linda! 
 Então acredita em você menina! Você é linda!

 *Ana e mia: Anorexia e Bulimia


- Cristina Ferreira



terça-feira, 14 de março de 2017

Representatividade: Filmes com mulheres gordas | Meninice Aguda

 Nem preciso dizer que em nossa sociedade há uma falta de representatividade para quem apresenta características físicas, diferentes da que é super valorizada pelo padrão de beleza. Isso faz com que criemos uma imagem ruim sobre nós mesmos, pois sempre vamos querer nos identificar com o que vemos, mas o que é exposto na mídia, por meio de TV e revistas, são mulheres magras, brancas e muito diferente da nossa realidade. 

 Sim, as coisas estão mudando. Estamos conquistando mais espaço, mas ainda assim, existe muito a se buscar. 
 Pensando em representatividade, hoje eu trouxe 6 filmes com mulheres gordas, infelizmente, nem em todos eles temos protagonistas gordas, mas são personagens importantes para a trama, e lembrando, são filmes leves, comédia romântica, para que você se divirta. 

 Espero que gostem! Não esqueça de se inscrever no canal para receber todos os vídeos! Siga no instagram @meniniceaguda

 Beijocas!

                     

domingo, 12 de março de 2017

EMPODERAMENTO: COMO ACEITEI MEU CORPO

      Hey galera, tudo bom? Aqui é a Cris, e no post de hoje trago um vídeo com meu relato sobre como comecei a aceitar meu corpo. Dou algumas dicas pra quem também quer trabalhar mais o amor próprio, espero que gostem. Ah, se inscreve aí no canal :)
       
                        
© Meninice Aguda - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Cristina.
Tecnologia do Blogger.
Design por
imagem-logo
Unicorn Design