Cristina Ferreira

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Quando percebi, estava em depressão...


 Eu não tenho postado muito por aqui, nem no canal. Bem, eu não tenho feito muitas coisas ultimamente... deixei de sair com minhas amigas (ou pior, deixei de responder a mensagens delas), não foi intencional, era involuntário. Quando me vi, eu já tinha me afastado das pessoas que amava e me encontrava sem nem ao menos conseguir sair de casa. Rompi laços de algum possível relacionamento, me fechei completamente, e tudo isso sem ter uma real ideia do que eu estava fazendo. Como eu disse, quando me dei conta, eu já estava em um caminho sem volta. 

 Talvez tenha levado anos até chegar onde me encontro agora, ou talvez seja algo de alguns meses para cá, eu não sei. Mas estou começando a entender. Entendimento esse que me mostra o quanto é errado (e ruim), eu ter perdido a vontade de fazer coisas que antes me alegravam. A garota mais sonhadora da turma, se tornou aquela que não tem esperança alguma. 

 A motivação é um sentimento escasso, e a fé é como chuva em um período de seca, quase uma raridade. Eu nem consigo imaginar se algum dia serei feliz novamente, ou corajosa, já que o medo tomou conta da minha vida.

 Eu sinto falta de quem eu era, sinto falta de quem eu queria ser, sinto falta de como as pessoas olhavam para mim, mas principalmente, eu sinto falta de saber para onde estou indo. 

 Ás vezes eu tenho uma súbita onda de positividade, então consigo fazer planos, retornar chamadas, praticar um dia de atividade física, algum hobbie, então a positividade passa... 
 Eu costumava dizer que atraímos o que pensamos, e que a positividade é a chave para se chegar onde você quiser, eu ainda acredito nisso. No entanto, na prática, a depressão pesa tanto sobre as minhas costas que eu acabo empurrando a positividade para o dia seguinte, e assim sucessivamente.

 Eu sei que estou em um ciclo vicioso, em uma bola de neve cinza, mas é como se eu não encontrasse o caminho de volta, como se por mais que eu tivesse mãos em minha direção, tentando me ajudar a sair dessa neblina, eu ainda não conseguia alcança-las. Como se eu estivesse presa. E eu estou presa. Presa nesse estado mental, onde tudo passa rápido e ao mesmo tempo lentamente. Como se o dia estivesse no mood acelerado, e meu corpo em um mood lento. E eu não consigo acompanhá-lo.

 A culpa se torna algo constante. Você se culpa por não estar bem, já que há pessoas passando por tantas coisas piores do que você. Você se culpa por não estar fazendo algo da sua vida, se culpa por preocupar sua família, por não ser o orgulho que você já foi a eles. E isso só te deixa ainda mais para baixo. 

 Eu poderia ficar horas dizendo aqui como minha vida se tornou uma areia movediça, mas há um lado bom em tudo não é? 
 Eu sei que o começo da mudança está em você aceitar que tem um problema, e buscar ajuda para resolvê-lo. Então se estiver passando por isso, se você se identificou com o texto, precisa entender que depressão é uma doença, e aconselho que busque ajuda. 

 Sempre fui melhor em dar conselhos do que segui-los, mas prometo que continuarei tentando. Um dia de cada vez.

 E sobre o lado bom; eu tenho recebido muito apoio da minha família. Muito mais do que se quer cheguei a imaginar. É agora que você vai ver quem está ao seu lado de verdade. E eu sou grata todos os dias por tê-los na minha vida. 
 Acho que ser grato é a melhor maneira de virar a página. 
 Você já fez uma lista com todas as coisas das quais é grata? Ficará surpresa ao ver o quanto as coisas positivas são maiores que as negativas. Mas no estado em que estamos, as coisas positivas são subitamente bloqueadas por nosso cérebro, junto com a sensação de felicidade. Então passamos a viver em um estado de tristeza e negatividade constante. Por isso é muito importante se lembrar das coisas boas que tem, começando pelas pessoas que estão ao seu lado. 

 Mas obviamente, se tratando de uma doença, em alguns casos será necessário tomar a medicação adequada, fazer terapia, enfim, cuidar do seu cérebro da mesma maneira que cuidaria de um braço quebrado. 

 Saiba que não está sozinha, assim como eu sei que não estou. Sua vida é preciosa demais, e daqui alguns anos, quando estiver curada, vai ver que tudo não passou de uma fase ruim. E as fases passam. 

 Depois da tempestade, sempre vem o arco-íris. 



















© Meninice Aguda - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Cristina.
Tecnologia do Blogger.
Design por
imagem-logo
Unicorn Design